Acessibilidade

Colônia de Férias do Prosamim leva crianças a atividades socioambientais no Cigs e Musa

A manhã de sexta-feira (12/01) foi animada e de muito aprendizado para as crianças do Parque Residencial Mestre Chico, no Centro, que participaram da Colônia de Férias do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), que acontece até o dia 26 de janeiro em mais três parques residenciais.

A atividade de educação socioambiental foi realizada no zoológico do Centro de Instrução de Guerra da Selva (CIGS), do Exército Brasileiro, no São Jorge, zona oeste de Manaus. O Conselho Tutelar de Manaus acompanhou todo o passeio com as 15 crianças, todas autorizadas por escrito pelos pais.

As crianças puderam conhecer sobre o comportamento dos animais do bioma Amazônia, como o jacaré-açu, a onça parda, o macaco aranha, a arara canindé, o quati, a anta, o gavião real, entre outros, sob supervisão da médica veterinária do Cigs, a tenente Camila Tochetto.

Mercedes Sena, coordenadora do Escritório Local Mestre Chico, conta que o passeio deixou a criançada entusiasmada. “As atividades constam de oficinais, artes circences, resgate de brincadeiras antigas e hoje estamos encerrando com esse passeio belo no Cigs. O objetivo é ambiental, por isso trouxemos crianças de 8 a 12 anos para ter conhecimento sobre os animais e aprender mais sobre o meio ambiente e a Amazônia”, explicou.

O Zoológico do Cigs é um local destinado à manutenção de coleções de animais com as finalidades de exibição, conservação, reprodução e educação ambiental da fauna amazônica. Para isso, mantém projetos educativos, científicos e culturais.

Visita ao Musa – Na quinta-feira (11/01), foi a vez das crianças da comunidade da Sharp conhecerem o Museu da Amazônia (Musa), no bairro Cidade de Deus, em excursão acompanhada pela Equipe do Trabalho Técnico Social (TSS) do programa. Nem a chuva que caiu à tarde foi capaz de diminuir a alegria desses pequenos com o passeio.

O Musa ocupa 100 hectares da Reserva Florestal Adolpho Ducke, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), dispondo ao público de exposições, viveiro de orquídeas e bromélias, lago, aquários e laboratórios experimentais de serpentes, de insetos e de borboletas.

A comunidade Sharp irá receber obras de requalificação urbanísticas do Prosamim, com melhorias na rede de esgoto com a implantação de uma estação de tratamento, além de implantação de praças arborizadas, quadras de vôlei e de futebol.

Toda a programação é organizada pela equipe social do Prosamim, que conta com diversos parceiros para tornar as atividades possíveis que seguem até o dia 26.

São Raimundo – De 15 a 19 de janeiro – São esperados aproximadamente 30 crianças e adolescentes com idades entre 4 e 12 anos, para participar das atividades que começam às 14h. Atividades:  cinema infantil, gincanas, jogos educativos e oficinas.

Liberdade – De 22 a 26 de janeiro – São esperadas em torno de 300 crianças e adolescentes, com idades entre 8 e 15 anos, para as atividades que acontecem a partir das 14h. Atividades: cinema infantil (no Liberdade); Circuito de rua, brincadeiras e rua (Cachoeirinha); Oficina de artesanato (no Liberdade); oficina de dança (no Liberdade); Circuito de rua apresentação circense (no Gilberto Mestrinho).

Cajual – 19 de janeiro e de 22 a 26 de janeiro – São esperadas em torno de 40 crianças e adolescentes do Cajual e entorno, com idades entre 2 a 14 anos que devem participar das atividades a partir das 14h. No dia 24, a atividade será o cineminha e acontece pela manhã, das 9h30 até 12h. Nos outros dias, as brincadeiras iniciam à tarde, entre elas gincanas culturais e ecológicas; cineminha; circuito de rua com brincadeiras antigas como cabo de guerra, corrida do ovo, corrida balão com água.

O Prosamim – Criado em 2003, o Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim) é gerido pela Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), que faz parte da Secretaria de Estado da Região Metropolitana de Manaus (SRMM).

Seu objetivo é promover a requalificação urbanística, ambiental e social dos igarapés das bacias das zonas central, sul e oeste da capital do Amazonas, a partir de obras viárias, construção de novas áreas de lazer e também residenciais, com recursos financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O programa já reassentou milhares de famílias que vivem atualmente em nove parques residenciais no entorno das áreas revitalizadas.