Acessibilidade

Prosamim capacita mais uma turma de moradores e já alcança mais de 200 capacitações no ano

 

Um grupo de 48 moradores do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus irão concluir essa semana, os cursos de Libras Básico e o de Atendente de Farmácia, que foram ministrados no Parque Residencial Liberdade, situado no bairro Morro da Liberdade, zona sul de Manaus.

Os cursos oferecidos aos moradores do Prosamim são resultados de uma parceria com o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (CETAM), que disponibilizam um extenso calendário de cursos durante o ano, com o objetivo de capacitar e profissionalizar os moradores do residenciais Prosamim e do seu entorno.

Na turma do curso de Libras Básico que encerrou na manhã dessa segunda-feira 23, foram capacitadas 23 pessoas, entre jovens, adultos e senhoras. E o curso de atendente de farmácia termina no dia 25.09 (quarta-feira).

O Curso básico de Libras básico foi ministrado durante dois meses no escritório do residencial Liberdade, durante esses 60 dias de curso os alunos aprenderam a história da língua de sinais assim como as noções básicas, como alfabeto em libras, palavras comuns e sinais mais utilizados na comunicação e etc.

No encerramento do curso que foi realizado hoje, os alunos interpretaram uma musica com a linguagem de sinais, exercitando tudo aquilo que foi aprendido nas aulas do curso

O Professor do Cetam, Antônio Borges, afirma que o público que frequentou o curso foi bastante variado, essa turma contou com jovens, adultos e senhoras. O instrutor afirma que todos os alunos que concluíram o curso, saem preparados para se comunicar com qualquer deficiente auditivo, podendo auxilia-los no trabalho ou em uma situação rotineira onde um surdo necessite de comunicação.

A moradora do entorno, Stephanie Cunha, afirma que o curso é uma qualificação que ela irá levar para toda a vida, pois é uma nova forma de se comunicar que aprendeu e que pretende ajudar deficientes auditivos se comunicarem e que também pretende continuar aprendendo a língua de sinais, a estudante disse aguardar ansiosa o curso avançado de libras.

O deficiente auditivo Robson Fernandes trouxe um irmão e a tia para aprenderem a linguagem de sinais e consequentemente melhorarem a comunicação entre os familiares. O Robson afirma através da linguagem de sinais que foi de grande proveito os seus familiares terem conhecido a linguagem de sinais, diminuindo a barreira ocasionada pela falta de comunicação entre eles, pois antes do curso haviam muitas dificuldades na comunicação diária.

O jovem deficiente auditivo, Robson, teve sua entrevista traduzida pelo próprio professor que o ensinou a linguagem de sinais.

FOTOS: Tiago Corrêa/SRMM-UGPE

Mais informações: Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Manaus (SRMM) e Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE): Geral (3878-7252 e 3878-7230), Alessandro Bandeira (99119-5792) e Tiago Corrêa (98249-0635).